O QUE FAZ A TERRA SANTA DE ISRAEL TÃO ESPECIAL?

Veja as estrelas enquanto estiver em Israel, e imagine que está sendo transportado de volta aos tempos antigos de Abraão quando Deus fez a promessa de mudar a história da humanidade para sempre. Não só mudaria a história, mas também suas implicações iam determinar a eternidade. Esta promessa ou “aliança” está ligada à Terra Santa.

Gênesis 12 registra a noite, quando Deus fez uma promessa incondicional a Abraão; uma promessa que foi tanto literal quanto eterna. Deus prometeu dar a Abraão: · Uma terra· Uma semente para formar uma grande nação· A bênção espiritual de redenção A aliança Abraâmica é o título de propriedade garantido que Israel tem sobre sua terra, sua continuidade como uma nação para possuir a terra e sua redenção para que possa desfrutar das bênçãos sob o reinado de seu Rei.

Esta aliança, onde Deus é o único que tem de cumprir, é o fundamento para a compreensão dos eventos da Bíblia e interação de Deus com o seu povo. Talvez você pode se perguntar o que é que faz com que o povo de Deus, os judeus e suas terras sejam tão preciosos e importantes? Esta aliança Abraâmica aclara que não é a terra ou o povo, mas o que Deus prometeu que o torna único. Esta terra é verdadeiramente a “terra prometida” e Deus a separou, assim como a seu povo para ele mesmo e a tornou literalmente uma terra santa.

Na essência da promessa de Deus se encontra a obra e a pessoa do Filho de Deus, Jesus Cristo. De acordo com o princípio do Antigo Testamento, este pacto seria selado com um sacrifício aceitável a Deus. A morte sacrificial de Jesus cumpre o antigo plano de Deus da redenção. Jesus nasceu sob a linhagem de Abraão e David, cumprindo assim a promessa da semente de Abraão. Através de Cristo, a bênção de Abraão foi cumprida e a terra também pertenceria a Israel para sempre.

Enquanto os judeus são o povo escolhido de Deus, eles sofreram enormemente ao longo dos séculos. Por conseguinte, a questão é por que Deus permitiu isso? Talvez Deus nos deu uma pista sobre isso quando estava sentado no Monte das Oliveiras, olhando a cidade, uma semana antes de ser crucificado.

Com tristeza disse: “Jerusalém, Jerusalém!. . . Quantas vezes quis eu ajuntar os teus filhos, como a galinha ajunta os seus pintinhos debaixo das asas, e vós não o quisestes! “(Mateus 23:37 NVI) No final, a graça de Deus vai prevalecer sobre os fortes corações de Israel. O amor incondicional e único de Deus com o povo de Israel, tem protegido o mesmo durante os ciclos de desobediência e resistência à vontade de Deus. O próprio fato de que Israel tem conseguido sobreviver a sua longa história de perseguição, o cativeiro e a dispersão é um teste da mão soberana de Deus sobre eles e sua bendita promessa de restaurá-los a si mesmo e ao seu país. Deus não se esqueceu de Israel. Através de Cristo, o futuro de Israel tem a bênção de Deus, porque a canção que todos os santos vão cantar na história vai ser: Maravilhosa graça, a graça e infinita misericórdia e imerecida de Deus.

WhatsApp chat